Festival Rozvodových Filmů
Festival rozvodových filmov
česky Deutsch English français portugues pycckий slovensky

Filmes



Os Meus Pais, o Seu Divórcio e Eu/Mes Parents, leur divorce et moi
(França 2009, 52 minutos, realizadora Lorene Debaisieux, em francês, legendado em checo)

O divórcio costuma ser em segredo. E as crianças, espetadores impotentes da desintegração da família? Para compreender como eles vivem a separação dos seus pais é necessário falar com eles e escutá-los. Através dos seus olhos mergulharemos na sua privacidade, nos seus sentimentos e na sua vida do dia-a-dia face a essa mudança brusca. A poesia das palavras das crianças, a sua imaginação e modéstia despertará a nossa estima perante a fragilidade e a subtileza das emoções.

http://www.poissonsvolants.com/project/mes-parents-leur-divorce-et-moi/




Bem-vindo de volta, Pluto/Welcome Back, Pluto
(EUA 2010, 83 minutos, realizador Tracy Ready, em inglês, legendado em eslovaco)

O filme é adequado para ver junto com as crianças e aborda bem o termo técnico da síndrome de alienação parental. Um dos melhores filmes iniciais sobre a alienação parental. Mesmo que as situações nas famílias sejam diferentes, as informações no filme são suficientes para descrever muitas histórias que acontecem. O doutor Richard Warshak, autor do filme, é o pioneiro reconhecido nesta problemática e apresenta a descrição dos problemas e as suas soluções. O filme é uma fonte valiosa para todos os que querem conhecer e perceber a alienação parental.

http://www.warshak.com/pluto/index.html




Pai descontinuada/Der entsorgte Vater
(República Federal da Alemanha, 86 minutos, realizador Douglas Wolfsperger, em alemão, legendado em checo)

O realizador dedicou o filme a um fenómeno pouco percebido pela sociedade. São os homens que após a separação são „liquidados“, não só como companheiros, mas também como pais, e que lutam, muitas vezes em vão, pela sua relação com os filhos. Quatro homens descrevem o seu sofrimento e os seus esforços para salvar a relação com os seus filhos. Uma mãe explica a sua posição.

www.der-entsorgte-vater.de




Mães condenáveis?/Mámy k zavržení?
(República Checa 2016 – estreia, xx minutos, realizador Dan Krameš, em checo)

A colocação dos filhos contra o pai na guerra do divórcio é considerada comum e „natural“. Os tribunais e as instituções sociais toleram e às vezes até fomentam esta patologia social. Como se os pais não fossem humanos… Isto faz parte da chamada „indústria de divórcio“. E se a mãe for rejetaida pelos filhos? Naturalmente o mal é o mesmo. Será que as instituções conseguem ajudar pelo menos às mulheres/mães que também enfrentam o ódio dos seus filhos manipulados? A desintegraçã da civilização não é causada só pela invasão dos migrantes, mas começa também com a destruição das relações familiares…

https://youtu.be/6M77kdKXKwY




A Morte Inventada
(Brasil 2009, 80 minutos, realizador Alan Minas, em português, legendado em checo)

O documentário "A Morte Inventada" tem como objetivo estimular a discussão sobre a Alienação Parental, noemenclatura pouco conhecida entre nós, mas que se refere a um comportamento bastante comum. A Alienação Parental, descrita em meados da década de 80 pelo psiquiatra infantil norte-americano, Richard Gardner, revela-se como uma situação na qual um genitor procura afastar seu filho ou filha do outro genitor intencionalmente. Essa alienação é realizada através de informações contínuas no intuito de destruir a imagem do genitor alienado na vida da criança. Na maioria das vezes, a mãe ou o pai que praticam essa alienação, obtém êxito, e o filho permanece, durante anos, acreditando naquela visão distorcida. Em alguns casos chega a té mesmo a ocorrer a falsa acusação de abuso sexual como último recurso para romper definitivamente o vínculo entre o genitor alienado e seu filho. Infelizmente, durante o processo de separação, os filhos acabam sendo o principal instrumento para agredir o ex-companheiro. As crianças vítimas da Alienação Parental carregam para sempre os sinais desse tipo de violência, podendo desenvolver, na fase adulta, distúrbios psicossociais severos. O documentário "A Morte Inventada" propõe disseminar o assunto entre pais, psicólogos, advogados, juízes, promotores, assistentes sociais, pediatras e todos os envolvidos neste drama familiar. Essa violência tão frenquente e tão pouco conhecida não pode continuar destruindo a relação entre pais e filhos.

www.amorteinventada.com.br




Indizível
(Portugal 2012, xx minutos, realizador Alexandre Azinheira, em português, legendado em checo)

Segundo dados do Ministério da Justiça ocorrem neste momento em Portugal 16.323 processos de regulação do exercício das responsabilidades parentais e 18.396 processos de pedidos de alteração e de incumprimento das regulações estabelecidas. Estes números correspondem a uma taxa de incumprimento dos respetivos acordos de regulação de 113%. Cada criança que passa por um processo de regulação parental tem grandes probabilidades de estar no centro de mais do que um processo de alteração ou incumprimento. Este tipo de processos duram em média 27 meses mas existem muitos milhares de casos que se prolongam durante três, quatro e cinco anos. Isto quando os processos não ficam simplesmente por resolver. Durante um processo de regulação das responsabilidades parentais a criança encontra-se exposta a um conflito que limita a sua convivência com um dos progenitores e respetiva família. Estima-se que mais de 25% de todas as crianças irão chegar à idade adulta com os pais separados. Este número tem tendência a aumentar. Nas crianças seguidas nas comissões de protecções de crianças e jovens a percentagem de filhos a viver só com um pai/mãe é superior a 40% o que ilustra a situação mais problemática vivida por estas crianças. Ao conflito e falta de celeridade na justiça assistimos a um número crescente de casos com uma particularidade mórbida: as insinuações, ou mesmo acusações, de abuso sexual. Protagonizadas sobretudo por mães que têm a guarda das crianças contra pais que lutam em tribunal para terem acesso ao/s filho/s, estas acusações têm efeitos irreversíveis, uma vez posta em marcha a máquina legal incumbida de apurar a “verdade”. Este documentário procura provar a existência de um “padrão comum na evolução por etapas do fenómeno da Alienação Parental em sede de processos de Regulação das Responsabilidades Parentais e de que forma a ineficácia do sistema judicial em vigor influencia e agrava este fenómeno”. Procura-se assim alertar para a necessidade de celeridade, ponderação e cuidados acrescidos por parte das entidades responsáveis, nomeadamente e em particular a Procuradoria Geral e a Assembleia da República.

https://vimeo.com/47816105




Duas Casas – O Dobro dos Amigos/"Střídavka"
(República Checa – estreia renovada, 64 minutos, realizador Luboš Patera, em checo)

„O número de pessoas que vos amam nunca é suficiente…“ e a guarda alternada dos filhos depois do divórcio permite-o.
O filme trata o tema da guarda alternada da criança depois do divórcio dos pais. É uma das formas possíveis de educação depois do divórcio. A taxa de divórcios na República Checa é alta – metade dos casais separam-se e a maioria dos filhos não vivem e não crescem com os dois pais. A guarda alternada é na República Checa pouco disseminada, embora seja uma boa solução. Em várias histórias o filme mostra possibilidades diversas da guarda alternada, completadas pelos comentários dos especialistas.

http://www.iustin.cz/art.asp?art=279




„Duas casas“ dez anos depois/"Střídavka" po deseti letech
(República Checa 2016 – estreia, 52 minutos, realizador Ján Mančuška, em checo e eslovaco)

Quais são os destinos de alguns personagens do filme „Duas casas“? Qual é a opinião sobre a guarda alternada das próprias crianças, adultos de hoje? O que a sociedade eslovaca acha sobre a guarda alternada?

https://youtu.be/AVIZtxf3GUM




Diagnose X/Diagnóza x
(República Checa 2012, 26 minutos, realizador Ján Mančuška, em checo)

Um documentário sobre a violência doméstica, desta vez do ponto de vista dos homens. O diretor Ján Mančuška parte da sua experiência pessoal com uma mulher tirana e apresenta também outros homens com experiência parecida. Não se trata só de esposas ou companheiras que ocupam o lugar de destaque, mas são também as sogras, mães, juízas, assistentes socias e todas as outras Xantipas que perturbam e destroem a vida dos homens. Na percepção da violência doméstica prevalecem esterótipos de raciocínio, mitos e muitas vezes disparates. Assim como o homem, a mulher pode tornar-se uma violenta do maior calibre, mesmo que a forma seja diferente. Enquanto no caso dos homens ocorre mais frequentemente a violência física, no que respeita às mulheres, predomina a violência psíquica, embora elas também gostem de recorrer à violência física. Porém é mais fácil enfrentar a violência física do que a psíquica. Essa é também mais difícil de comprovar. Não tem uma forma nítida, sendo mais intangível e mascarada e as suas consequências são iguais: deformam de maneira fundamental toda a sociedade. O autor do filme teve que enfrentar este tipo de violência durante vários anos, tendo uma experiência pessoal com ela. Durante muito tempo tentou lutar com ela sem querer desistir da parceria, porque estava em jogo uma criança menor de idade. Quando se deu conta de que era a criança quem sofria mais com a situação porque tudo decorria sempre na sua presença, decidiu cortar o filho das cenas de histeria e de bullying para que a criança deixasse de ser magoada.A sua narração na primeira pessoa, ou seja, de um protagonista, e também as câmaras subjetivas criam a linha de conexão do documentário. As histórias de outras cinco pessoas estão entrelaçadas com a história pessoal do autor.

http://www.ceskatelevize.cz/porady/10370465544-diagnoza-x/21256226132




Sobre o amor ganancioso/O láske zištnej
(República Checa 2009, 30 minutos, realizador Ján Mančuška, em checo)

Todas as pessoas desejam amar e ser amadas. Às vezes alguns não se apercebem que são sempre eles quem ajuda ao seu companheiro, enquanto que a outra pessoa vê defeitos em tudo o que fazem. Mesmo que oiçam conselhos dos outros, continuam dispostos a fazer tudo pelo seu amor… E muitas vezes deixam de fazê-lo quando já é tarde. Histórias de pessoas que em vez de encontrar o amor, encontraram desprezo, dívidas e até anos na prisão.

http://www.fdb.cz/film/ceske-milovani-o-lasce-zistne/106901


O Festival dos filmes sobre o divórcio 2016
e-mail: info@iustin.cz
tel.: +420 603 72 99 61